Recalque das fundações como agente causador de fissuras | Coppenge Engenharia
contato@coppengeengenharia.com.br (79) 3224-6455

Recalque das fundações como agente causador de fissuras

31 de agosto de 2018
Nenhum comentário

As fissuras por recalque do terreno têm lugar todas as vezes que a carga excede à capacidade resistente, rompendo-se então o equilíbrio entre o peso da obra e a resistência do solo.

Essas fissuras são causadas geralmente pela escolha inadequada da fundação, por infiltrações ou cargas imprevistas.

A má escolha do tipo de fundação ocorre frequentemente quando o engenheiro ou arquiteto não dispõe de um perfil de sondagem que lhe permita apreciar em detalhe as condições de resistência da camada de terreno em que vai assentar a obra.

Complementarmente, a desigualdade de resistência que apresenta o solo é outro fator que concorre frequentemente para o aparecimento de fissuras, desde que haja imprevidência por parte do profissional.

A fundação artificial mediante consolidação, produz também resultados imprevistos. As águas provenientes de telhados, de canalizações ou de outras procedências podem infiltrar-se através do solo e prejudicar o alicerce ou fundação mediante a diminuição de sua resistência em virtude da inundação do terreno.

Os aumentos de carga observam-se usualmente com a mudança de destino dos edifícios, passando a suportar sobrecargas para as quais não foram calculadas as suas fundações ou então nas ampliações verticais quando se aumentam os andares sem estarem os alicerces previstos para tanto.

Forma das fissuras

Fundações contínuas – As fissuras por recalque são sempre parabólicas e manifestam-se sob a forma de uma ou mais curvas em sucessão no mesmo eixo, que corresponde ao ponto de maior deformação (Figura).

Esse tipo de fissura ocorre com maior frequência na parte inferior do edifício.

Nas paredes com aberturas, a curva da fissura é mais abatida e é interrompida, porém sempre fácil de ser reconstituída. São linhas inclinadas que partem da extremidade esquerda ou direita das vergas, conforme o ponto de maior deformação esteja à direita ou à esquerda. Verifica-se também que essas fissuras possuem sempre o mesmo sentido que as demais (Figura).

Quando o recalque se verifica num canto, esse passa a ser o eixo das parábolas, manifestando-se de forma continua quando não há presença de aberturas e fragmentadas no caso contrário (vide figura anterior para maiores detalhes).

Fundações descontínuas – Nas fundações descontínuas, como é o caso dos pilares, o recalque se manifesta de forma acentuada nas paredes com aberturas e pouco aparente, as vezes mesmo insignificante, nas paredes maciças.

As fissuras das paredes maciças têm a forma de uma linha quase vertical (figura), que começa na cornija, onde é mais acentuada, e termina a certa altura do terreno, embora o alcance, às vezes, sob a forma de gretas capilares.

Medidas a tomar

É necessário verificar primeiramente se o movimento cessou, caracterizando uma fissura passiva, ou se ainda continua, caracterizando uma fissura ativa.

Uma forma de verificar a progressão ou não dos danos é revestir a fissura com papel impermeável que se romperá fatalmente se o movimento continuar.

Sendo o recalque passageiro, basta realizar um tratamento das fissuras com argamassa e/ou uso de selantes/elastômeros. Caso contrário, torna-se necessário escorar a parede e proceder ao reforço de suas fundações mediante alargamento da base dos alicerces, emprego de estacas auxiliares, consolidação do solo ou outro meio.

Adaptado de Manual do Construtor, João Baptista Pianca (p. 637-639)

Your Turn To Talk

Deixe seu comentário:

Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Iniciar Conversa
1
Precisa de ajuda?
Olá!
tudo bem?
Em que podemos ajudar?
Powered by